Compartilhe

Uma boa noite de sono traz bem mais benefícios do que você imagina.

Ela pode prevenir algumas doenças, como o diabetes, ajudar na recuperação da saúde e até melhorar sua memória.

Até existem alguns hábitos que você pode incorporar na sua rotina, com o objetivo de se deitar e dormir como um bebê.

Veja, a partir de agora, o que você pode fazer para conseguir descansar a noite inteira, quais distúrbios existem nesse processo e o que fazer a respeito para acabar com eles.

Noites mal dormidas trazem muitos problemas no dia a dia

O sono é um estado de consciência em que a pessoa tem pouca percepção do que acontece ao seu redor e tal condição é facilmente revertida, diferente do que ocorre em relação ao coma e à hibernação. A função dele consiste em recuperar as energias perdidas com atividades físicas e mentais realizadas durante o dia.

Uma boa noite de sono é o primeiro passo para ter o dia cheio de disposição. Ele também aumenta a produção de hormônios, ajuda na fixação do que foi aprendido durante o dia e reduz o nível de ansiedade. A imunidade fica mais elevada, por isso o sono é importante nos processos de recuperação da saúde.

Outra relevante característica do sono, é a capacidade que ele tem de aumentar a sensação de saciedade. Estudos na área de endocrinologia revelam que quem dorme pouco, tem mais chance de ficar obeso. Isso pode ocorrer, já que o desequilíbrio dos hormônios de saciedade resulta em maior vontade de comer.

Noites mal dormidas elevam os níveis de colesterol. A falta de sono também aumenta a insulina de jejum, por causa da baixa produção dessa substância em tais condições. O período de descanso é primordial e previne o surgimento do diabetes.

Se o repouso profundo é tão relevante em circunstâncias normais de saúde, ele ganha ainda mais peso em relação ao portador de doenças metabólicas como, por exemplo, o diabetes mellitus. O organismo desse paciente já tem dificuldade para produzir insulina e tal deficiência piora com poucas horas de sono.

O resultado disso é o elevado nível de glicose no sangue. Caso a pessoa deixe de controlar o nível de açúcar no organismo, surgirão problemas nos vasos sanguíneos, nos nervos e nos órgãos. Resumindo, todo o corpo começa a ficar comprometido.

Então, veja como melhorar a qualidade do seu sono.

Descubra quais são as diferentes fases do sono saudável

Quem nunca passou o dia meio grogue, em câmera lenta, por ter dormido pouco? A sensação é parecida com a de uma leve embriaguez e também prejudica a coordenação motora, a capacidade de raciocínio e, no longo prazo, pode levar a certas doenças. Entenda melhor como ocorre o processo do sono.

Ele é comandado pelo relógio biológico , que está programado para funcionar no ciclo de 24 horas. Há toda uma questão genética envolvendo esse processo, mas não é só isso. Fatores externos como vida social, hábitos enraizados e o tipo de colchão fazem a diferença quando o assunto é como dormir bem.

O primeiro passo para chegar lá, começa bem antes de você ir para a cama. O cérebro passa a produzir a melatonina e isso se inicia quando o sol se põe. Trata-se de um aviso natural que o organismo recebe para começar a se preparar para dormir. A temperatura corporal cai em torno de 2ºC e a pressão arterial também cede um pouco. É um processo lento e natural.

Após ir para a cama, o processo de adormecimento dura em torno de 15 minutos. A respiração fica leve e o cérebro, mais lento. É uma área intermediária entre estar acordado e dormindo. Depois disso, o ritmo cardíaco cerebral fica ainda mais reduzido e começa de fato o sono.

Esse caminho vai seguindo até chegar ao sono profundo, quando inicia a fase em que o corpo repõe as energias gastas enquanto estava acordado. É nesse estágio que são liberados vários tipos de hormônios e tem início o processo de recuperação das células e dos órgãos.

Mais adiante começam os sonhos. Ao mesmo tempo, o cérebro elimina as informações desnecessárias e retém as importantes. Tudo isso é feito com eficiência porque o corpo é a máquina mais perfeita que existe. Nosso papel consiste em fazer com que ela continue funcionando bem.

Depois dos sonhos, começa o processo contrário, que leva a pessoa a acordar.

Saiba o que pode ser feito para conseguir dormir melhor

O número de horas que é necessário dormir, para que o sono cumpra sua função no organismo, varia para cada pessoa. Estudos revelam que entre 7h e 9h são suficientes. Mesmo assim, há quem fique bem com apenas 6h e quem precise de 12h para repor as energias. Veja qual é o seu caso e se planeje para dormir o quanto precisa.

Alterações de longo prazo nesse ritmo começam a ser sentidas pelo corpo e a trazer problemas. Caso isso esteja ocorrendo com você, procure logo um médico e explique o que está acontecendo no seu dia a dia. Observe quantas horas consegue dormir, se acorda várias vezes à noite e se há dificuldade para pegar no sono.

Existem mais de 80 tipos de distúrbios do sono e há exames específicos para detectá-los. Veja os exemplos dos principais problemas nessa área.

  • Insônia – Pode estar ligada ao estresse, à ansiedade, à doença e à mudança de hábito.
  • Apneia – É a obstrução parcial da garganta, que leva a uma parada respiratória com duração média de 20 segundos.
  • Síndrome das pernas inquietas – É um distúrbio que se caracteriza pela agitação dos membros inferiores e dos braços nos casos mais graves, levando a pessoa dormir muito mal.
  • Bruxismo – É o ato de ranger os dentes com força e de forma inconsciente. Causa problema dentário e está ligado ao sistema nervoso.

O sono é necessário e deve ser desfrutado por todas as pessoas. Qualquer alteração contínua nesse ciclo, deve ser observada com atenção. Ele ajuda não apenas a conservar a saúde, mas também a restabelecê-la quando se inicia o tratamento médico.

Higiene do sono

Em condições normais, você pode fazer a sua parte sozinho, sem ajuda médica.

Veja providências que pode tomar para garantir boas noites de sono. Adote esses hábitos com o objetivo de preparar o seu cérebro para que você tenha boas noites de sono.

  • Chegar em casa pelo menos três horas antes do horário de dormir
  • Deixar bem claro para você mesmo que seu dia de trabalho acabou pelo menos duas horas antes de dormir, quando então deverá tomar banho, ler e relaxar
  • Não se deve ir para a cama sem sono. Não se deve usar a cama para planejar o dia seguinte, ler, assistir TV. A atividade sexual não traz problemas. Cama foi feita para duas coisas: dormir e namorar
  • Ter sempre um horário regular para se deitar e se levantar
  • Evitar o consumo de alimentos excitantes, de bebidas alcoólicas ou que contenham cafeína; comer muito próximo ao horário de dormir também não é recomendado
  • Não fumar. A nicotina é ainda mais estimulante do que a cafeína
  • Se não pegar no sono após 15 ou 30 minutos, levante-se e vá para outro recinto ler
  • Evitar assistir TV, principalmente programas muito excitantes
  • Não realizar exercícios intensos próximo ao horário de dormir
  • Manter as regras inclusive nos finais de semana
  • Se estiver roncando, mesmo que lhe pareça o contrário, você pode não estar dormindo bem
  • Relaxar. Tomar uma ducha, ler um livro ou ouvir uma boa música pode ajudar muito a conciliar o sono. Procure fazer dessas tarefas como um ritual do sono a ser repetido todas as noites
  • Ao acordar, deixe a luz do sol entrar em seu quarto.

 

Quanto mais você se dedicar para ter boas noites de sono, maiores serão os benefícios à sua saúde. Siga as orientações acima e, se mesmo assim não conseguir acordar bem por causa da insônia, procure um médico.
Tenha em mente que dormir não é perda de tempo, ao contrário, isso é vital para que você se mantenha bem, não só durante o dia, mas por vários anos.

——–

Este texto foi baseado em um artigo do doutor Washington Pereta Tavares, neurologista e professor assistente de Neurologia da Universidade de Taubaté.

Os comentários estão encerrados.