Compartilhe

Cuidado com o diabetes é maior em tempos de Covid-19

Hoje em dia, é preciso mais do que nunca elevar ao máximo o cuidado com o diabetes.
Manter o isolamento social e a imunidade em alta estão entre as melhores ações preventivas para ficar longe do coronavírus.
Estamos passando por um período atípico e o panorama exige atenção com tudo o que pode oferecer risco à saúde.
Se a falta de controle da glicemia já é um risco, em tempos de coronavírus ela é ainda mais perigosa.
Saiba, a partir de agora, o que você pode fazer para se manter com saúde.

Descubra como agir se você faz parte do grupo de risco

O cuidado com o diabetes faz parte da vida de quem tem essa enfermidade e deve ser ainda maior quando existe risco de contrair o coronavírus.
Se você tem diabetes e está preocupado porque faz parte do grupo de risco para as complicações da Covid-19, preste atenção.
Siga todas as orientações que dizem respeito à prevenção porque sua situação é diferenciada caso não tome os cuidados necessários em relação a seu nível de glicemia, por exemplo.
Mesmo assim, não há motivo para pânico. Seu risco de complicações da doença não é de 100% se você mantém a diabetes controlada.
O perigo aumenta apenas para quem deixa a média glicêmica (média da glicose no sangue) ficar acima de 180mg/dl. Aí sim crescem as chances de surgirem problemas por causa do coronavírus.
Outro motivo de receio está ligado às demais enfermidades que agravam ainda mais a situação atual. Caso você tenha também algumas das doenças abaixo, o risco é maior.
● Asma
● Problemas renais
● Doenças cardíacas
● Hipertensão arterial

Outras complicações relacionadas à diabete.
A melhor forma de lidar com qualquer doença, em época de pandemia ou não, é se manter uma pessoa muito bem informada.
Só assim é possível controlar o que ainda não tem cura e ao mesmo tempo manter qualidade de vida.
Conscientização em relação à própria condição é a palavra chave para viver bem no longo prazo.
Basta buscar aprender e, principalmente, colocar em prática todas as orientações recebidas sobre seu tratamento.
Aqui nesse site você sempre vai encontrar muita informação sobre diabetes e não é uma situação atípica que elevará o risco de forma descontrolada. Ele existe, mas depende muito mais do seu comportamento do que de causas externas.
Fique de olho nas suas atitudes.

Cuidado com o diabete tipo 1 aumenta para a Covid-19

Outra dúvida bastante comum se refere ao nível de gravidade do Covid-19 entre os portadores de diabetes tipo 1 e tipo 2.
A princípio, não existe diferença entre as duas enfermidades no que diz respeito ao coronavírus.
O que nós vemos no dia a dia de forma bastante clara é uma dificuldade bem específica das pessoas com diabetes tipo 1.
Elas precisam se esforçar muito para manter a estabilidade glicêmica, pois seus níveis de glicose no sangue variam muito ao longo do dia.
Tal característica do diabetes tipo 1 exige monitoramento bem mais constante.
E qual é a relação disso com o Covid-19? É simples, vamos lá.
Quem vive com o diabetes descontrolado reduz a própria imunidade e dá espaço para pegar alguma infeção.
Se isso já é ruim numa situação normal, em época de pandemia se torna algo perigoso.
A melhor decisão num momento como esse, é seguir as orientações dos especialistas em saúde. Não vacile no que deve ser feito:
● Fiquem em casa
● Mantenha distanciamento físico de quem convive com você
● Evite pegar crianças no colo
●Cuide da higiene dos alimentos e objetos que chegam da rua
● Quem tem mais de 60 anos deve manter atenção dobrada nessas recomendações.

Eu sei que o período de quarentena é estressante. Mesmo assim, todo cuidado é imprescindível porque o panorama é delicado não apenas no Brasil, mas no mundo inteiro.
O diabetes já exige muita atenção no dia a dia. Você não precisa de uma complicação a mais.
Tenha certeza de que essa situação vai passar e amanhã nós ficaremos mais tranquilos.

Alimentação é ponto importante no cuidado com o diabetes

Os cuidados para controlar o diabetes se tornam ainda mais importantes quando se referem à proteção ao Covid-19.
Sua glicemia deve se manter entre 80 mg/dl e 180 mg/dl. Considere essa variação uma zona de segurança.
Claro que ela não protege contra o coronavírus, mas a imunidade de forma geral fica mais alta. E isso já faz muita diferença numa época de pandemia.
Tal controle deve ser feito com mais regularidade. Então, monitore a glicemia mais vezes ao dia.
Atualmente, é fácil encontrar vários tipos de monitores nas farmácias da sua cidade. Só conhecendo qual o nível que você tem no sangue no decorrer do dia, será possível manter um controle mais rigoroso dessa variação glicêmica.
O ideal é fazer isso no mínimo duas vezes ao dia. Pode intercalar entre alguns minutos antes das principais refeições e duas horas após a esses momentos.
Preste bem atenção no que você come. Evite excesso de alimentos ricos em carboidratos. Veja os exemplos de alguns deles:

● Arroz
● Pães
● Doces
● Macarrão
● Massas em geral.

Pode comer mais verduras e legumes sem nenhum receio. Mas fique atento em relação à quantidade de frutas porque elas contêm frutose (o açúcar da fruta) e isso aumenta a glicemia.
Algumas frutas a serem ingeridas com moderação são as seguintes:
● Uva
● Figo
● Açaí
●Banana
●Frutas secas

É importante se lembrar de que o suco tem mais açúcar do que a polpa da fruta. Portanto, dê preferência para ingeri-la na forma natural.
Mais uma dica é tomar bastante água. Quanto mais hidratado você ficar, melhor será o seu controle da glicemia.

Manter o corpo e a mente sob controle ajuda no tratamento

Se fazer exercício físico já é importante para qualquer pessoa, praticá-los com frequência faz parte do tratamento do diabete.
Mesmo na quarentena, dá para você se mexer sem sair de casa. A partir de 30 minutos e três dias por semana, já é o suficiente para que o músculo capte mais glicose e, dessa forma, ocorra a redução da quantidade de açúcar circulando pelo sangue. Isso se traduz no aumento da sensibilidade celular à insulina e é bastante positivo.
Muitas vezes, a rotina de atividades físicas leva à redução da quantidade de medicamentos voltados ao controle do diabete.
Todos esses cuidados com o corpo devem ser tomados sem deixar de lado o aspecto emocional da pessoa.
Principalmente num momento de tantos desafios como o de agora.
O nível de açúcar no sangue pode ficar mais alto quando há estresse. Por isso, o controle das emoções é tão importante.
Tudo começa por nossos pensamentos. Eles geram sentimentos, que estão ligados de forma direta ao controle do metabolismo. É simples assim.
É preciso ficar atendo em relação a todo cuidado com o diabetes.
Deixo uma dica para você: pense no que lhe dá alegria, esperança e veja o lado bom das situações.
Ficar em casa significa estar perto da nossa família e de quem amamos. Curta cada momento com alegria, amor e esperança de dias melhores, pois eles virão.
Creia nisso, cuide da sua saúde e do seu bem estar!

Dra. Alexandra Manfredini
Biomédica e Educadora em diabetes
Diretora CEDLAB Laboratórios e Clube Levida

Os comentários estão encerrados.
















 
close-link