Você precisa conhecer os tipos de diabetes.
Compartilhe

Tipos de diabetes: conheça as variações dessa doença

Poucas pessoas conhecem todos os tipos de diabetes e essa doença tem características próprias.

Ela pode surgir por questões genéticas ou a partir dos maus hábitos que a pessoa mantém por muitos anos.

O primeiro passo para não apenas se prevenir da enfermidade, mas principalmente se cuidar corretamente, é manter-se informado.

Veja quais são os principais tipos dessa doença e inicie sua educação em diabetes.

 

Diabetes MODY tem origem na mutação genética

Essa variação da doença é bastante rara e deve ter o diagnóstico preciso para ser tratada com mais eficácia. O Diabetes MODY, sigla para Maturity-Onset Diabetes of the Young (Diabetes de Início na Juventude), chama a atenção por quase nunca aparecer nas estatísticas.

Ela surge a partir de mutações genéticas específicas nas células beta do pâncreas. Além disso, existe 50% de probabilidade de a pessoa ter adquirido a doença de um dos pais. O quadro clínico é bem mais complexo do que o existente no diabetes tipo 2, por exemplo.

Essas diferenças fazem com que seja necessário primeiro descobrir a característica genética do paciente, para depois definir o tratamento mais adequado àquele organismo. Sendo assim, o diagnóstico preciso é traçado por endocrinologistas e geneticistas trabalhando em conjunto.

 

Diabetes LADA também tem característica especial

Há mais um tipo dessa enfermidade, que também merece atenção por sua especificidade. O Diabetes LADA (Diabetes Autoimune Latente do Adulto) pode ser explicado, de maneira simplificada, como a união do diabetes tipo 1 e tipo 2. A maioria das pessoas também não sabe que ela existe.

Tal doença surge a partir de uma reação autoimune, com desenvolvimento lento, baseado na redução gradativa da produção de insulina. Por isso, pode ser facilmente confundida com o diabetes tipo 2, já que é mais detectada em adultos com idade avançada. Seu diagnóstico correto é crucial.

Determinados pacientes precisam começar o tratamento com insulina porque essa medida reduz o progresso da doença. Nunca é demais afirmar que cada organismo é único e depende de soluções personalizadas para responderem da melhor forma possível ao tratamento definido pelo médico.

 

Diabetes Gestacional merece atenção, mas é passageira

Como o próprio nome já afirma, esse tipo da doença surge apenas em uma condição bastante específica: durante a gravidez. Isso não significa que a mulher com esse quadro clínico pode ficar totalmente relaxada, sem tomar nenhum cuidado, apenas esperando o dia do parto para o diabetes ir embora.

Isso porque o bebê pode ser afetado por essa condição clínica. Além disso, há risco de o Diabetes Gestacional se transformar em Diabetes tipo 2 após a mãe dar à luz. Nenhuma gestante precisa entrar em desespero, pois os médicos sabem muito bem lidar com essa situação durante o pré-natal.

É por intermédio de mudanças dos hábitos alimentares e da inclusão de uma rotina de exercícios que a futura mamãe consegue não apenas controlar a doença, mas também minimizar as consequências dela para seu filho. Quem segue as orientações do médico, tem enorme chance de ver o Diabetes Gestacional sumir após o parto.

 

Diabetes Tipo 1 surge geralmente durante a infância

Ninguém sabe completamente por que em certos casos a produção de insulina é insuficiente na infância. As razões mais aceitas estão ligadas a fatores genéticos ou a doenças autoimunes, mas existem outras causas que continuam sendo analisadas pelos cientistas. O mais importante para o paciente no momento é chegar ao diagnóstico preciso do Diabetes Tipo 1 e seguir as orientações médicas.

Quando o pâncreas não produz insulina ou a fornece numa quantidade inferior à conservação da saúde, o paciente precisa aplicar diariamente a injeção dessa substância. Isso faz com que ele mantenha em equilíbrio o nível de glicose no sangue. Além da medicação, a pessoa que tem esse tipo de diabetes precisa se alimentar de maneira adequada à condição de saúde e praticar exercícios físicos regularmente.

A situação não é grave, mas requer cuidados para evitar complicações. O desafio é maior durante a infância, porque as crianças precisam compreender o próprio quadro clínico e contar com a estrutura familiar para controlar a doença.

 

Diabetes Tipo 2 é a mais conhecida de todas e evitável

Quando alguém fala sobre diabetes, a conversa provavelmente diz respeito ao Tipo 2. Poucas pessoas conhecem as demais variações dela. Mesmo que não seja uma regra, é comum as pessoas desenvolverem Diabetes Tipo 2 após os 40 anos de idade.

Ela surge a partir de uma série de fatores: obesidade, sedentarismo, estresse elevado, tabagismo e maus hábitos alimentares são os principais. Diferente do paciente que possui Diabetes Tipo 1, o organismo de quem tem o tipo 2 produz insulina, mas não consegue utilizá-la da maneira correta. Isso faz com que o nível de glicose no sangue fique elevado.

Quem possui esse tipo de diabetes não sente nenhum sintoma nos primeiros anos que a desenvolveu, por isso é tão importante realizar exames preventivos uma vez por ano. Qualquer pessoa com Diabetes Tipo 2 pode viver sem tomar medicamento, desde que mantenha em equilíbrio o nível de glicose no sangue. Entre todas as variações de diabetes, essa é a única evitável, porque surge dos maus hábitos das pessoas.

 

Caso você tenha um desses tipos de diabetes, faça sua inscrição no programa Diabetes eu cuido. Contamos com uma equipe multidisciplinar formada por médicos, enfermeiras, nutricionistas, podólogas e vários outros especialistas. Conte com a gente.