pixel-face
Pré-diabetes: 90% das pessoas não sabem que têm esse problema.
Compartilhe

Pré-diabetes: 90% das pessoas nessa condição ignoram o diagnóstico

Pré-diabetes é um sinal de que você pode desenvolver a doença, mas o maior obstáculo para evitá-la é a falta de consciência para realizar anualmente os exames específicos.

Quem faz a lição de casa não só fica tranquilo porque possui a prova de que continua tudo bem com a saúde, mas também tem mais condição de reverter o diagnóstico quando a glicemia está alta.

O diabetes é uma doença que surge de maneira sorrateira, sem dar sinais, e a única forma de detectá-la antes de prejudicar ainda mais a saúde, é indo ao médico e conversando sobre esse assunto.

Veja por que é importante encarar essa realidade e descubra quais são os exames mais importantes para monitorar sua saúde.

 

Fazer exames é crucial para descobrir se há risco de ter a doença

Pré-diabetes é o quadro clínico de quem está com a glicemia alta, mas 90% dessas pessoas nem imaginam o risco que correm. Essa doença é silenciosa, aparece sem apresentar sintomas e a melhor forma de preveni-la é por meio da prevenção. Descubra a verdade sobre o pré-diabetes e saiba como ficar longe desse problema.

A elevada quantidade de glicose no sangue faz com que a pessoa entre numa zona de perigo que serve de alerta. Essa condição de saúde ainda é reversível, pois nem sempre ela evolui para o diabetes tipo 2, diagnóstico que passa a ser definitivo. O organismo pode demorar até dez anos para desenvolver o diabetes, sem apresentar no dia a dia nenhum sinal de que há algo errado.

De acordo com a diretora do programa Diabetes, eu cuido, Alexandra Manfredini, o pré-diabetes surge quando o nível de glicemia medido em jejum está entre 100 mg/dl e 125 mg/dl. “É uma referência bastante clara e facilmente identificável”, declara Alexandra. Essa quantidade de açúcar aparece no exame de sangue, por isso é tão importante realizar exames preventivos regularmente.

Segundo dados do Atlas de Diabetes, publicado pela International Diabetes Federation (IDF), 10,5% da população adulta mundial tem diabetes, mas metade desses pacientes nem imagina que está doente. Esse desconhecimento em relação à própria condição de saúde acontece por causa da falta de exames preventivos. Trata-se de uma questão de conscientização e valorização da vida.

Veja o que você deve fazer para ficar de fora das estatísticas sobre pacientes diagnosticados com diabetes.

 

Conheça os exames que revelam quem tem pré-diabetes

Cuidar da saúde é mais fácil do que parece, entretanto, várias pessoas deixam de tomar até as providências mais simples. Uma delas consiste em ir ao médico uma vez por ano para fazer check-up e confirmar que está tudo bem.

Os exames que mostram a quantidade de glicose no sangue são muito importantes porque mostram que existe algo errado ocorrendo no organismo, mesmo que você não esteja sentindo absolutamente nada.

Veja quais são esses exames e a diferença entre eles.

 

Glicemia em jejum

O médico pede esse teste tanto nos exames de rotina com o objetivo de saber como está a saúde do seu paciente, como para realizar o acompanhamento das pessoas que já têm o diagnóstico de diabetes.

O laboratório faz a coleta do sangue enquanto o paciente está em jejum por um período entre 8 e 12 horas. Essa regra evita que o resultado esteja errado, por causa de desequilíbrio no nível de açúcar no sangue.

 

Hemoglobina glicada

Esse exame também é feito para detectar a quantidade de glicose no sangue, mas diferente do teste de glicemia em jejum, que indica tal índice no dia da coleta da amostra, esse exame mostra o índice glicêmico dos últimos três meses.

Como se trata de um resultado “retroativo”, não é necessário estar em jejum, nem qualquer outro preparo especial para realizar esse exame. É normalmente solicitado para quem tem diabetes e faz o acompanhamento do estado de saúde.

 

Insulina

Essa substância, que é um hormônio produzido no pâncreas, tem a função de liberar glicose no sangue, para que ela entre nas células e seja usada como energia. Qualquer desequilíbrio nesse processo pode levar ao diabetes.

O teste de insulina é realizado com o objetivo de checar se há alguma anormalidade na produção desse hormônio. Em caso positivo, pode surgir a necessidade de repor a insulina por meio de medicamentos. Precisa de jejum.

 

Teste oral de tolerância à glicose

Durante esse exame realizado em laboratório, a enfermeira oferece doses de glicose para a pessoa tomar e verifica se a insulina que o paciente tem no organismo metaboliza normalmente a glicose.

É uma das formas de descobrir quem tem resistência à insulina. Dependendo do nível de resistência, é necessário iniciar tratamento para evitar que esse desequilíbrio leve ao diagnóstico de diabetes.

 

Todos esses exames são feitos no mesmo dia, você não precisa ir várias vezes ao laboratório. Trata-se mais uma questão de conscientização em relação à manutenção da saúde. Basta fazer isso só uma vez por ano para ficar tranquilo durante os outros 11 meses.

O Cedlab Laboratórios está preparado para realizar todos os exames necessários e ainda mantém uma equipe plenamente preparada para atender você. Entre em contato com o laboratório e agende seus exames.