Festa junina pode ser aproveitada pelo diabético.
Compartilhe

Festa Junina: veja como todo diabético pode se divertir

Todo mundo quer aproveitar a época de Festa Junina, mas quem tem diabetes precisa tomar cuidado.

Isso não significa que o paciente deve evitar sair de casa ou passar vontade quando vai à quermesse.

Ele pode aproveitar a festança normalmente, só está proibido de ultrapassar certos limites que aumentam o risco à saúde.

Descubra como você deve se comportar na Festa Junina e divirta-se nas noites frias de junho.

Principais cuidados para aproveitar as delícias da festa

Festa Junina é mais um período de tentação para quem tem diabetes, mas se o paciente tomar os cuidados necessários, ele certamente pode aproveitar a ocasião sem correr nenhum risco. Vale à pena ficar atendo às orientações a seguir, porque só assim é possível aproveitar o mês inteiro com festas nas ruas.

Essa típica comemoração do meio do ano ocorre do Norte ao Sul do Brasil e milhares de pessoas se divertem com músicas de quadrilha e comidas da ocasião. A culinária é o ponto forte da festança. Todo mundo prova um pouquinho de tudo e no fim da noite não cabe mais nada na barriga. Não é desse jeito que acontece todo ano?!

O portador de diabetes fica com água na boca ao passar na frente de cada barraca, mas não tem a mesma liberdade para comprar tudo o que deseja. Mesmo assim, ele não precisa passar vontade, afinal, também é filho de Deus e não vai passear só para ficar a noite inteira resistindo à tentação. Ninguém merece!

Sendo assim, se você está no time do sangue doce, veja o que e como comer para evitar ir para casa com o gosto amargo de quem passou mal porque saiu da linha. Acredite, dá para se deliciar sem sentir culpa por se divertir como as outras pessoas que não têm a mesma restrição alimentar. Anote as dicas abaixo e boa Festa Junina.

  • Saia de casa com a glicemia sob controle, pois assim há margem para fazer escolhas
  • Com base no cardápio típico, veja com antecedência quais alimentos estão liberados e em qual quantidade.
  • Troque as frituras pelos alimentos assados ou grelhados; escolha as opções in natura: milho ou pinhão.

Esses cuidados iniciais ajudam bastante a aproveitar a festa e a não voltar para casa passando vontade.

Com planejamento, dá para provar as comidas típicas

Se no dia a dia é importante ter acompanhamento de uma nutricionista no tratamento do diabetes, nessa época do ano ela é ainda mais primordial. Agende uma consulta só para fazer o planejamento dos alimentos que você pode comer e em qual quantidade. Não se trata de exagero, mas de prevenção.

Se muita gente procura consultoria financeira em épocas de crise, por que não conversar com uma nutricionista tendo em vista descobrir quais são as melhores decisões alimentares nesse período tão especial? Conheça sua dieta do cotidiano e ajuste a ingestão dos pratos típicos vendidos na Festa Junina.

É preciso estimar a quantidade de carboidrato, gordura e açúcar existente nos doces, nas massas e bebidas. Quentão e vinho quente estão liberados? Só se for um único copinho daqueles de servir café, para não passar vontade. A moderação e o bom-senso dão as cartas para que a noite termine bem.

E mesmo assim o ideal é medir a glicemia no decorrer da festa, com o objetivo de ver na hora o resultado dessas decisões. Sempre há tempo de pôr o pé no freio, ou seja, de fechar a boca antes de começar a passar mal. Lembre-se de que as fibras, ricas nas frutas e nos legumes, ajudam a controlar a glicemia.

Exercícios sempre são bem-vindos para o diabético e caminhar durante a festa junina já ajuda bastante. Se você for dançar quadrilha ou forró, melhor ainda, porque vai se divertir ainda mais enquanto toma uma atitude saudável.

Tenha em mente que ser portador de diabetes não é sinônimo de privação ou sacrifício. Ao contrário. Sem abuso, qualquer paciente pode (e deve) ter uma vida completamente normal e aproveitar tudo de bom que ela oferece. Basta ter consciência das consequências da doença e manter o controle da glicemia. Esse é o segredo.