Compartilhe

Carboidratos: descubra as principais diferenças entre eles

Vez ou outra, os carboidratos aparecem como vilões ou heróis do cardápio.

A conclusão sobre o que eles podem promover em relação à própria saúde, nem sempre é tão simples assim e é preciso conhecê-los melhor para consumi-los com segurança e sem culpa.

Descubra quais são as principais características e diferenças dos carboidratos e prepare melhor suas refeições.

Veja o que são os carboidratos e o efeito deles no corpo

Carboidratos são biomoléculas muito importantes para o corpo e a principal fonte de energia das células. Podem ser encontrados especialmente nos alimentos de origem vegetal como grãos, cereais, tubérculos, entre outros. A composição deles é rica em carbono, hidrogênio e oxigênio, elementos cruciais ao organismo.

Está na moda reduzir ao máximo o consumo de carboidratos e existe até uma famosa dieta para tal finalidade: a low carb. Quem a adota, geralmente quer perder peso, mas ela também ajuda na reeducação alimentar. Lembre-se: é o nutricionista quem deve orientar qualquer mudança no cardápio.

Todas as pessoas precisam de carboidratos porque eles abastecem a corrente sanguínea com glicose. Daí vem parte da energia para dar conta não só dos compromissos do dia a dia, mas também fazer exercícios físicos com frequência. Além disso, tal componente alimentar tem importante papel no funcionamento do cérebro. Pesquisas recentes mostram que ele trabalha melhor com esse nutriente.

De forma geral, os carboidratos dividem-se em três grupos:

  • Monossacarídeos – São carboidratos pequenos e rapidamente absorvidos pelo organismo. Eles se encontram nos formatos de glicose, frutose ou galactose
  • Dissacarídeos – É resultado da união de dois monossacarídeos. O corpo também os absorve rápido e se apresentam como sacarose, maltose ou lactose
  • Polissacarídeos – Eles são caracterizados pela combinação de vários monossacarídeos, possuem moléculas maiores e são absorvidos lentamente.

A falta de carboidratos mexe com as funções do corpo e pode causar insônia, mau humor, dor de cabeça e nos casos graves, até desmaio. O excesso de seu consumo está ligado ao ganho de peso, à elevação da triglicérides no sangue e, em certas condições, ao risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Sem dúvida, a ingestão equilibrada deles leva à manutenção da saúde e do nível de felicidade, pois carboidratos aumentam a produção de serotonina, o hormônio responsável pela sensação de bem-estar.

Carboidratos simples possuem elevado índice glicêmico

Alimentos com carboidratos simples geram energia quase imediatamente porque o organismo os absorve rápido. Quando são digeridos, surge um pico de glicemia na corrente sanguínea e logo depois é gerada a insulina. Pode considerar o prazo de até 30 minutos para o corpo digerir aquele lanchinho e você começar a sentir mais disposição para várias atividades, inclusive fazer exercício físico.

Pão, torta e fruta, inclusive na forma de suco, são boas opções para garantir um gás a mais. Porém, mantenha a atenção. Todo o carboidrato não utilizado, sai da circulação sanguínea e se transforma em gordura. Aí está parte da causa do sobrepeso e da má forma física. Dê preferência aos carboidratos naturais, pois eles também estão no doce, no refrigerante e no alimento processado.

Conheça alguns alimentos dessa categoria:

  • Torradas
  • Água de coco
  • Banana, melancia e abacaxi
  • Batata, beterraba e abóbora
  • Arroz branco.

Por ter absorção rápida, os carboidratos simples oferecem curta sensação de saciedade e, sendo assim, é normal sentir vontade de comer alguma coisa pouco tempo depois de consumi-los. Tal sensação não é gula. Eles precisam ser evitados porque resultam em quilos a mais.

No caso dos portadores de diabetes, são ainda mais restritivos porque elevam bastante os níveis de glicemia no sangue. Devem ser vistos como uma carta na manga, usada só em momentos específicos, como por exemplo, antes da prática esportiva ou quando a glicemia está baixa demais.

Um dos segredos da boa nutrição está em conhecer as propriedades de cada alimento. Mesmo dentro de cada grupo (fibras, vitaminas, minerais, proteínas, açúcares), há diferenças bem marcantes e carboidratos também não são todos iguais.

Carboidratos complexos têm reduzido índice glicêmico

O corpo absorve os carboidratos complexos de forma lenta e isso faz com que não só a glicose, como também a energia seja produzida aos poucos. Tal característica é positiva aos portadores de diabetes. Dessa forma, é possível evitar que o índice glicêmico suba demais e cause efeitos colaterais à saúde.

Esses carboidratos evitam o acúmulo de gordura, por isso facilitam a perda de peso e ainda são abundantes em vitaminas do complexo B, ferro, fibras e minerais. Você pode facilmente consumir vários alimentos desse tipo no dia a dia. Carboidratos complexos estão presentes, de forma geral, nos alimentos integrais, mas há outras opções, como por exemplo:

  • Aveia
  • Mandioca
  • Batata doce
  • Lentilha, feijão preto e grão de bico
  • Cenoura.

 

Todos eles dão maior sensação de saciedade e, certamente, com menos vontade de comer durante o dia, fica mais fácil manter a boa forma física. O ideal é fazer a combinação correta entre esses e demais alimentos, com o objetivo de obter o melhor de cada um deles. As nutricionistas do Diabetes, eu cuido! ajudam muito nesse sentido.

Depois que você aprender os benefícios de cada tipo de carboidrato, é hora de se organizar. Esse alimento deve fazer parte do cardápio, sempre na quantidade adequada às suas necessidades e até como aliado no intuito de controlar com disciplina os níveis de índice glicêmico.

Fique atenta ao que pode acontecer ao seguir as dietas da moda, principalmente se você tem uma condição especial de saúde. Usados com sabedoria, os alimentos podem prevenir várias doenças, controlar as crônicas e garantir qualidade de vida por muitos anos. Aproveite ao máximo suas refeições.

Os comentários estão encerrados.